segunda-feira, 30 de junho de 2008

Explicação do Negócio da Agel - parte X

Neste última parte da série, abordarei algumas tentativas em forçar e deturpar a realidade (essencialmente por parte de alguns membros da rede) e falarei de algumas alíneas hilariantes que estão incluídas no contrato (ou "acordo", como preferirem).

A ferramenta de auto-ship (ou de "envio automático") mensal.

Uma das primeiras coisas que é transmitida e encorajada aos novos membros, quando entram para rede, é a de ligarem o "auto-ship", ou seja, de colocarem determinados produtos (à escolha), em determinas quantidades (à escolha, embora seja feita pressão seja para que sejam pelo menos duas caixas), num sistema de auto-envio. Creio até que no acto de inscrição, este é um dos passos presentes no processo informático.

Desta forma não necessitam de estar a aceder ao sistema todos os meses para efectuar encomendas que são necessárias para receber os bónus do plano. Tudo é processado de forma automática.

É simples, cómodo e evita esquecimentos. Certo?

Errado.

Bem... embora a afirmação esteja tecnicamente certa, as razões para vos pedirem que liguem o auto-ship não são bem estas. Como toda a gente já percebeu, e como vem sendo evidenciado nas mensagens anteriores, quem entra de início para a rede pode passar por um período inicial em que as receitas são inferiores aos custos (e o mais provável é nunca vir a sair dessa situação). Na maioria dos casos, enquanto não se tiver construído um downline volumoso, não há lugar a lucros. Ora, tendo em conta esta realidade, e pensando nas coisas de um ponto de vista meramente económico, não compensa encomendar produtos enquanto as receitas não forem superiores aos custos dessas encomendas (e a alternativa, durante este período, é encomendar o mínimo possível, uma caixa a cada três meses, para não se ser expulso da rede). Ligar o auto-ship logo de início é ignorar esta regra simples. É voluntariamente estar a pagar dinheiro, logo ao início do mês, sem se saber se no final desse mesmo mês à direito a lucros ou a prejuízos. Sem o auto-ship ligado, um membro pode esperar até ao último dia para ver se nesse mês compensa ou não encomendar o produto.

Claro que se toda a gente agir desta forma - se toda a gente estiver à espera dos outros para efectuar encomendas - a rede toda "perde" dinheiro! Em contrapartida, se as cinco hierarquias de baixo (97% do total de inscritos) estiverem a encomendar caixas de produto todos os meses de forma regular, as hierarquias de cima (com 3% do total de inscritos) têm rendimentos exponencialmente superiores. Quantas mais caixas em auto-ship encomendas por mês, melhor para os de cima (porque ganham mais dinheiro) e pior para os de baixo (porque perdem mais dinheiro). O "sucesso monetário" dos de cima (e da Agel, também) depende, de certa forma, do jeito em convencerem os de baixo a ligarem esta opção.

Algumas destas tentativas passam por ridículas, como a da imagem seguinte, retirada de uma apresentação Powerpoint, que tenta convencer o leitor de que o auto-ship evita problemas de acumulação de stocks (hahaha - só se for para a Agel...). A imagem diz ainda que é "uma forma cómoda de receber os produtos em casa" - será que se forem encomendados sem ser em autos-ship serão recebidos de forma "incómoda"? (isto é só para focar o aspecto da completa insipiência de alguns argumentos).




Outra tentativa, que aparece mais desenvolvida no manual de iniciação Agel, é dar a ideia de que encomendar várias caixas por mês (duas, quatro, ...) representa um "investimento em vós próprios" - porque podem sempre usar o excesso de produto para promoverem o negócio, oferecendo-o como amostras...

Finalmente, e talvez esta seja a tentativa mais "intimidatória", é fazer passar a ideia de que apenas com o auto-ship ligado, e com a encomenda mínima de duas caixas por mês (também está na figura), se pode receber os bónus do plano. Há de facto alguns bónus que necessitam de duas caixas como encomenda mínima, mas estes só estão acessíveis muito mais tarde, para quem tiver realmente um downline gigantesco, e de qualquer maneira não requerem o auto-ship ligado (pelo menos que eu saiba).

O auto-ship não é uma opção obrigatória, mas há, aparentemente, uma situação concreta em que este estatuto pode ser diferente. Quem estiver inscrito no plano Executivo, e para poder receber o "Bónus Executivo", para além de ter de encomendar duas caixas de produto todos os meses, poderá ter de ligar esta "opção". A Agel tem, no FAQ que disponibiliza no site oficial, uma explicação acerca disto, que em vez de esclarecer o assunto, ainda o baralha mais:

"Existe alguma penalidade prevista para o cancelamento de um Envio Automático? Não. Pode cancelar ou alterar o seu Envio Automático em qualquer momento. Se o seu nível for Executive tem de encomendar, pelo menos, duas caixas de produtos todos os meses para se manter qualificado para participar na porção de Executive Bonus do Plano de Pagamento da Agel."

É curioso que seja a propósito do plano Executivo que haja algo a esclarecer. Estamos a falar de um plano que não está explicado em parte alguma da documentação Agel, e ao qual surge uma alusão nesta página de FAQ meia escondida. Daquilo que está aqui explicado, dá a entender que mesmo sem o auto-ship há direito a receber o Bónus executivo. Mas não é certo que assim seja...

Se assim não for, se o auto-ship for de facto necessário para o receber, então o dito bónus é uma espécie de lotaria: encomendamos duas caixas de produto no início do mês sem sabermos se, no final desse mês, o bónus é mais elevado do que a despesa inicial.

As representações exageradas de rendimentos

O seguinte quadro foi retirado de um fórum criado por membros da Agel (aqui), mas já vi outros quadro semelhantes (ou mesmo idênticos) em outros sites. O título que o apresenta refere "ganhos médios, Dezembro 2007".

O grande problema deste quadro, e para a além da objectiva falta de informação a esclarecer de onde vêem estes valores, qual foi o universo de amostragem, e como foram feitos calculos, é o exagero oportunista, para melhor, dos rendimentos por nível, já para não mencionar que não está representado o escalão de entrada na rede, o de simples Team Member, e que aloja cerca de 98,5% do total de inscritos. É possível que certas pessoas ganhem os valores apresentados no quadro e em relação ao seu escalão, mas serão uma muito pequena minoria em relação ao total, e nunca serão seguramente uma representação fiel da média total.

Só para dar um exemplo, no escalão inicial, de Manager, a única maneira de fazer 1.100 dólares num mês é através do recrutamento de alguns Executivos e/ou de muitos Básicos. Só com os cálculos das Comissões de Volume de Equipa não se chega lá. O escalão de Manager é atingido para quem tem 2.000VC na perna menor, e é mantido até aos 4.000VC (exclusive).

Para 2.000VC na perna menor temos 200$ ao final do mês
Para 3.000VC na perna menor temos 300$ ao final do mês
Para 3.995VC na perna menor temos 395,5$ ao final do mês

Podemos ainda contar com o Bónus Executivo, e pensar que, no máximo, este pode chegar aos 300$ se a perna mais fraca tiver crescido 3.995VC nesse mês e se a recompensa for de 100$ por cada acção. (e não esquecer que para o ganhar são necessárias duas caixas de encomenda mínima nesse mês).

Tudo junto, não chega sequer a 700$ em receitas.

Contudo, se houver algum recrutamento à mistura, digamos umas sete ou oito pessoas, entre Básicos e Executivos, então podemos atingir de facto os 1.100$ e até mais. O quadro, ao contrário de mostrar a realidade, afigura-se-me como uma selecção de alguns exemplos de topo, em pico de rendimento, escolhidos propositadamente para sustentarem uma mentira.

Para a pessoa que fez este quadro, da próxima vez que se dedicar a apresentar cálculos destes, ao menos tenha a decência de mostrar em que é que se basearam as contas e qual foi o universo de amostragem escolhido.

Como isto não é um documento oficial Agel, se houver problemas com a justiça (como já houve no passado com outras companhias de MLM que apresentaram valores de receita exagerados) a empresa pode muito bem lavar as mãos e dizer que não é nada com ela.


O contrato - algumas partes interessantes

Esta parte é um bocado extensa, mas contém repetições propositadas, derivadas das traduções efectuadas. Texto original está em tons normais, as traduções estão a verde, e os meus comentários estão a azul. As partes a negrito foram destacadas por mim.


6.4 To prohibit “inventory loading,” the Team Member agrees to the following inventory rules:

Para prevenir “acumulação de stock”, o Membro concorda em seguir as seguintes regras:

6.4.1 A Team Member shall not order any product for inventory unless at least seventy percent (70%) of Member’s previously ordered inventory of that product has been sold or consumed.

Um Membro não encomendará nenhum produto a não ser que tenha vendido ou consumido pelo menos setenta porcento (70%) da encomenda anterior desse produto.

6.5 The Seventy Percent (70%) Rule. The Company Sales Program is based on sales at retail and not on maintaining an inventory of products. At the time of each order, a Team Member must have sold or consumed at least seventy percent (70%) of their previous inventory of that product before re-ordering and must be able to certify to such if demanded by the Company or by any regulatory agency.

A regra dos setenta porcento (70%). O Programa de Vendas da Companhia baseia-se nas vendas a retalho e não na acumulação/manutenção de um stock de produtos. No momento de cada encomenda, o Membro tem de ter vendido ou consumido pelo menos setenta porcento (70%) da encomenda prévia desse produto e tem de conseguir comprová-lo, caso tal lhe seja pedido pela Companhia ou por uma agência reguladora.

6.6 Each Team Member, upon request from the Company should be able to furnish a statement documenting such sales and listing at least four (4) individual customers. Team Members are required to maintain all Retail Sales Receipts for a period of two (2) years and must furnish them to the Company, upon request. If a Team Member does not comply with this requirement, the Team Member is subject to discipline by the Company.

Sempre que for pedido pela Companhia, cada Membro deve ser capaz de apresentar um documento comprovativo destas vendas, listando pelo menos quarto clientes diferentes. Os Membros são obrigado a manter todos os recibos de vendas por um período de dois anos e, se necessário, devem ser capazes de os apresentar à Companhia. Se um Membro não o fizer, fica sujeito a ser “disciplinado” pela companhia.


Eis a famosa "regra dos 70%", uma das que serviu para ilibar a Amway de ser considerada uma pirâmide, no célebre caso de 1979, FTC vs Amway, nos Estados Unidos, e que na altura era mais exigente do que actualmente, pois não havia esta possibilidade de consumo.

Pois bem, o que eu acho desta regra, tanto a de hoje como a de antigamente, é que é a coisa mais estúpida e acefala que alguma vez foi introduzida num contrato de Vendas Directas, entre uma empresa e os seus distribuidores. E não me estou a referir apenas à Agel, estou a criticar a própria lógica da regra.

O que se passa é o seguinte: imaginem a regra como ela era antigamente, sem a parte do consumo, algo do género: "No momento de cada encomenda, o Membro tem de ter vendido pelo menos setenta porcento (70%) da encomenda prévia desse produto". Se por acaso o distribuidor quiser consumir uma parte da sua encomenda actual (e que deve ser a coisa mais natural do mundo, dada a situação), então ele tem de ter encomendado a mais no mês anterior, em quantidade suficiente para cumprir com a obrigação de vender. Tomemos com exemplo o caso da Agel. Se um distribuidor quisese consumir uma caixa de produto, para satisfazer esta regra ele teria de ter encomendado pelo menos quatro caixas desse produto no mês anterior, e de ter vendido três delas (75%). Em alternativa, caso tivesse encomendado menos de 4 caixas, teria de ter vendido todas elas (visto que duas caixas apenas fariam 66%)... É uma situação imbecil, no mínimo.

Agora imaginem a regra actual, a que está enunciada no contrato Agel:
"No momento de cada encomenda, o Membro tem de ter vendido ou consumido pelo menos setenta porcento (70%) da encomenda prévia desse produto". Aparentemente esta adição resolve o probelma. Mas cria uma nova situação de acefalia, porque anula qualquer possibilidade de validação da regra que tenta criar: se alguma vez um Membro Agel quiser fazer uma encomenda apenas para poder receber as suas comissões, basta-lhe dizer que consumiu o produto, mesmo que isso possa não corresponder à realidade. Não há nenhum documento comprovativo do consumo, ou há?

Concluindo, a existência desta lenga-lenga toda no contato é igual a NADA. Tanto fazia colocar isto como não colocar. É uma regra que não pode ser controlada, mesmo que houvesse vontade para tal. Por consequência, a regra seguinte, respeitante à apresentação obrigatória de facturas comprovativas de vendas (em caso de pedido), fica também sem qualquer interesse ou efeito prático.

Que idiotice pegada!

Mas será que não há ninguém que repare nisto?

---

7.1 Unless otherwise stated by the Company for a specific country or region, a new Team Member who is dissatisfied with their first product purchase shall request a refund, credit or exchange within thirty (30) calendar days after the date of shipment of the product. If the Company is notified within the thirty (30) calendar-day period, and if the product is in resalable condition, the Company will refund the full price of the product purchase less shipping charges, bonuses, taxes and commissions paid. The enrollment fee of thirty-five dollars ($35.00) is not refundable. A Team Member’s request of a one hundred percent (100%) refund on their first order will be notice to the Company as a cancellation of that Team Member’s organization.

A não ser que seja estabelecido pela Companhia para um Mercado/país específico, um Novo Membro que esteja insatisfeito com a primeira encomenda de produto poderá pedir uma devolução de dinheiro, um crédito, ou uma troca, nos primeiros trinta (30) dias a contar da data de envio do produto. Se a Companhia for notificada nesse período de trinta dias, e se o produto devolvido estiver em condições de venda, a Companhia devolverá ao Membro a totalidade do preço do mesmo menos custos de transporte, bónus, taxas e comissões eventualmente pagas. A taxa de inscrição de trinta e cinco dólares ($35) não é devolvida ao Membro. A um pedido por parte de um Membro em receber uma devolução de cem porcento (100%) nos produtos da primeira encomenda corresponderá um pedido de cancelamento de contrato desse Membro.

Nesta alínea há um aspecto MUITO interessante, talvez até um descuido por parte da Agel, e prende-se com esta parte a negrito, no fim do texto. O que isto pode querer dizer, grosso modo, é que podemos entrar com um plano Executivo, e devolver todas as caixas de produto menos uma (evitando assim atingir os 100% anunciados), até final do mês, que continuaremos a ser membros da rede como Executivos. Interessante, não?

Por outro lado, temos um aspecto NADA interessante, e até mesmo repugnante, e que é o curto prazo para devolver os produtos, algo de que já tenho falado em mensagens anteriores e que considero criminoso (seis meses, no mínimo, é o prazo que considero aceitável), especialmente tendo em conta que o produto tem garantia de um ano e tendo em conta que a DSA obriga as empresas suas associadas e darem mesmo UM ANO de prazo de devolução, com direito a 90% de reembolso no valor (e daí que não se compreenda como é que a Agel continua a ser associada da DSA... e daí que pense que o associativismo à DSA não passe de uma farsa... e daí que ache mesmo piada quando alguns membros da rede apresentem a DSA como comprovativo de que a Agel não é uma pirâmide...).

7.2 Customer Return Policy. The Company has a one hundred percent (100%) money-back guarantee on all of its products for retail sales. It is the responsibility of each Team Member to refund the purchase price to any unsatisfied customer. The customer’s request must be made within thirty (30) calendar days of the date of the product purchase to be valid unless a longer period of time is required by law, and the product must be in resalable condition. The Company will refund the full price of the product purchase less shipping charges

Política de Devolução de Produtos a Clientes. A Companhia oferece uma garantia de devolução de 100% em todos os produtos que sejam para vender a retalho. É da responsabilidade de cada Membro devolver o dinheiro do produto a qualquer cliente insatisfeito. O pedido de devolução por parte dos clientes deverá ser feito dentro de um prazo de 30 dias a contar da data da compra, a não ser que um período mais longo seja requerido por lei, e o produto deverá estar em condições de voltar a ser vendido. A Companhia devolverá o preço total do produto menos custos de transporte.

7.3 After the first product purchase, and for an auto-ship order, a Team Member shall request a refund within thirty (30) calendar days after the date of shipment of the product. If the request is made within a thirty (30) calendar day period, and if the product is in resalable condition, the Company shall charge a twenty percent (20%) restocking and processing fee and refund eighty percent (80%) of the product purchase price, less shipping charges, bonuses, taxes or commissions paid to the Team Member.

Após a Primeira Compra de produto, e para uma encomenda em auto-ship, um Membro poderá pedir uma devolução dentro de um prazo de 30 dias a contar da data de envio do produto. Se o pedido tiver sido feito dentro deste prazo e se o produto devolvido estiver em condições de venda, a Companhia cobrará uma taxa de 20% por custos administrativos e devolverá ao Membro 80% do preço de encomenda do mesmo, menos custos de transporte, bónus, taxas e comissões eventualmente pagas.

Potencial Problema: e se a encomenda não tiver sido feita em auto-ship? O produto pode ser devolvido à mesma, ou não? (não é que faça assim muita diferença - não estou a ver ninguém a querer devolver uma ou duas caixas de produto para poder receber 80% do seu valor, ainda para mais pagando custos de transporte para a Holanda, mas ainda assim, fica a pergunta).

7.4 The Company shall provide a refund, as set out in this Section, upon the Team Member or Customer complying with the following procedures:

A Companhia pagará uma devolução, tal como descrito nesta secção, na concordância de que o Membro ou Cliente respeite os seguintes procedimentos.

7.4.1 The Team Member desiring to return product for a refund must call the Company’s Customer Service and receive a Return Merchandise Authorization number (hereinafter referred to as the “RMA”).

O Membro que deseje devolver o produto e receber uma devolução deverá ligar para a Linha de Atendimento a Clientes de forma a receber uma Autorização de Devolução de Mercadoria (doravante designada por “RMA”)

7.4.2 The Team Member must provide the following in a letter to the Company (1) the reason for the return, (2) the RMA number on the company’s return request form to be completed, filled out by the Team Member and (3) a copy of the original dated Agel invoice.

O Membro deverá apresentar à Companhia, por carta, (1) as razões da devolução, (2) o número do RMA no formulário a ser preenchido pelo Membro e (3) uma cópia da factura original da Agel.

7.4.3 The shipping to the Company must be prepaid by the Team Member. The Company does not accept shipping-collect packages.

Os custos de devolução do produto à Companhia deverão ser pagos à cabeça pelo Membro. A Companhia não aceita pagar custos de devolução a serem cobrados no destino.

7.5 In no event shall the Company refund shipping expenses for the delivery or the return product.

A Companhia não pagará custos de transporte inerentes a devoluções de produto sob nenhum pretexto.

7.6 The Company must receive the returned product within fifteen (15) calendar days of providing to the Team Member an RMA.

A Companhia deverá receber os produtos a devolver num prazo de 15 dias a contar da entrega do RMA ao Membro.

7.7 In order for the product to be in resalable condition, the carton containing the product must not be damaged, the shrink wrap shall not have been opened, the carton shall contain all of the individual packets and no packets shall have been opened or damaged.

Para um produto estar em condições de voltar a ser vendido, a embalagem que o contem não pode estar danificada, ao plástico protector não pode estar aberto, a embalagem deve conter todos os pacotes e nenhum pacote poderá estar aberto ou danificado.

7.8 The Company agrees to post the return policy for a specific country or region that differs from the return policy set out herein.

A Companhia compromete-se a publicar a Política de Devolução de Produtos para um determinado país ou região em caso desta diferir das regras aqui especificadas.

7.9 The Company’s return policy may be modified to comply with applicable laws, regulations or ordinances.

As Política de Devoluções da Companhia poderá ser modificada de forma a ajustar-se às leis e regulamentos aplicáveis num determinado local.

7.10 The Team Member agrees that the Company shall not provide a refund for product returned after the specified period set out in the return policy. If a Team Member returns product to the Company, and no refund is due, the Team Member authorizes the Company to re-inventory the product for resale or to use the product for samples.

O Membro concorda/aprova que a Companhia não proceda à devolução de dinheiro por um produto devolvido para além do prazo especificado na Política de Devoluções. Se um Membro devolver produtos à Companhia e não houver direito à devolução de dinheiro, o Membro autoriza a Companhia a reutilizar o produto para nova venda ou para amostras.

7.11 Team Members are subject to adjustments of commissions paid on product returned by Team Members in their organization.

Os Membros estão sujeitos a ajustamentos nas comissões pagas em função nos produtos devolvidos por outros membros na sua Organização.

7.12 The Company will not make cash refunds. Refunds will be credited to the credit or debit card charged by the Company for the same order.

A Companhia não fará devoluções em dinheiro. As Devoluções serão creditadas no cartão de crédito ou débito através dos quais os produtos foram encomendados.

7.13 A Team Member who disputes the payment of product on their credit card and the product has been sent by the Company, will be immediately terminated.

Um Membro que cancele o pagamento do produto no cartão de crédito e a quem o produto já tenha sido enviado pela Companhia será imediatamente “extreminado” ;-).

---

13.1 A Team Member has a right to cancel at any time, regardless of reason. Cancellation must be submitted in writing to the Company at its principal business address or must send an email to www.help@agel.com (Please see Terms and Conditions attached as an addendum.)

Um Membro tem o direito de cancelar o contrato a qualquer altura, independentemente da razão. O Cancelamento deverá ser submetido por escrito à Companhia para a sua morada principal ou então através do e-mail www.help@agel.com

8.4 A new Team Member’s primary source of business income is derived from selling the products at the suggested retail price.
The retail profit is the difference between the Retail Price and the Team Member price of the product, less shipping costs.

A fonte primária de receitas de actividade para um Novo Membro é derivada da venda de produtos ao preço de venda a retalho sugerido. O lucro do retalho é a diferença entre o preço dessa venda e o preço de compra que o Membro pagou pelo produto, menos despesas de transporte.

SEM COMENTÁRIOS

8.5 When a retail sale is made, Team Members will provide their customers a complete Retail Sales Receipt and will honor any customer request to cancel the transaction within three (3) business days of the date of purchase, if required by law.

Quando uma venda a retalho for realizada, os Membros entregarão aos clientes uma factura detalhada e honrarão qualquer pedido de cancelamento de transacção num prazo de três dias úteis a contar da data de compra, se requerido por lei.

---

9.1. Actual, implied or potential income representations or claims regarding the Company’s program are strictly prohibited.

É estritamente proibida a divulgação de ganhos relacionados com o programa da Companhia, sejam estes reais, sugeridos ou potenciais.

Esta alínea deve ser para rir. Dá-me ideia, e isto sou só eu a pensar alto, que a Agel tem medo que os seus Membros revelem situações de prejuizo continuado... será? Mais uma regra para ignorar; representações sugeridas não faltam às dezenas por aí, sempre a insinuar que se ganham balúrdios. A mim apresentaram-me o negócio dizendo que o não-sei-das-quantas, que era o sponsor de outro não-sei-das-quantas (não memorizei nomes, desculpem-me), estava há três meses na rede e já ganhava 3.000€... E depois, basta olhar para aquele quadro que apresentei ali em cima para se ficar com uma ideia do controlo efectivo que a Agel anda a impor no terreno.

E alguém compreende por que razão não há um Membro de TER DIREITO a revelar quanto é que ganha, realmente, por opção própria? Dêem-me UMA razão válida. Só uma...
---

11.1 Team Members shall comply with all country, federal, state and municipal laws relating to Team Members’ businesses and shall not engage in any unlawful or illegal trade practices or business activity. Team Members shall conduct their businesses in a manner that reflects the highest standards of honesty, integrity and responsibility towards customers (Please see Terms and Conditions attached as an addendum.)

Os Membros cumprirão com todas as leis estatais, federais, distritais e municipais relativas ao negócio de Membro da companhia e não se envolverão em práticas ou actividades ilegais ou ilícitas. Os Membros conduzirão o negócio de uma maneira que demonstre os mais altos standards de honestidade, integridade e responsabilidade para com os consumidores (ver “Termos e Condições” anexos)

Será que esta regra prevê o Decreto-lei 143/2001 da constituição portuguesa? Mas há mais, leiam as sub-alíneas seguintes...

11.2 The Company prohibits a Team Member from participating in any activity that is unethical. The Company has an unfettered right to intercede when unethical behavior is evident and when such behavior violates the Agreement. The Company reserves the right to use its best judgment in deciding whether certain Team Member activities are unethical and, if determined to be so, to act accordingly.

A Companhia proibe um Membro de participar em qualquer actividade que não seja ética. A Companhia tem o livre direito de interceder quando algum comportamento sem ética seja evidente e quando tal comportamento viole este acordo. A Companhia reserva-se ao direito de melhor ajuizar para decidir se as actividades de determinado Membro são ou não éticas e, caso determine que não sejam, de agir em conformidade.

11.3 Although not intended to be an inclusive/exclusive list, the Company provides the following examples of activities and conduct that is considered unethical:

Apesar de não pretender que a lista seguinte seja inclusive/exclusiva, a Companhia disponibiliza os seguinte exemplos de actividades e de condutas que considera sem ética.

11.3.1 Developing, promoting or selling product in a retail outlet;

Desenvolver, promover, ou vender produto a retalho numa loja.

11.3.2 Directly or indirectly supplying products via another person for the
promotion or sale of product in a retail outlet;

Fornecer directa ou indirectamente produtos a outras pessoa para serem promovidos ou vendidos a retalho numa loja.

11.3.3 Cross-sponsoring;

Recrutamento-cruzado

1.3.4 The unauthorized use of another person’s credit card;

O uso não autorizado do cartão de crédito de outra pessoa

11.3.5 Misrepresenting or exaggerating the efficacy of the products;

Divulgação errada ou exagerada da eficácia dos produtos.

11.3.6 Making income representations or intentionally misrepresenting the Pay Plan;

Fazer a divulgação das receitas ou intencionalmente má divulgação do Pay-Plan

11.3.7 Engaging in any deceptive or unlawful trade practice or other illegal or unlawful activity,

Colaborar com qualquer prática de comércio enganadora ou ilícita ou em qualquer outra actividade ilícita.

11.3.8 Failing to submit advertisements or proprietary sales material bearing the Company’s name for approval prior to publication;

Publicar materiais de apoio às vendas/promocionais que tenham o nome da Companhia sem antes os ter submetido para aprovação.

11.3.9 The use or misuse of the Company’s name, likeness or logo in print or electronic media advertising without express written consent of the Company;

O uso ou uso abusivo do nome, “aspecto visual” ou logotipo da Companhia em anúncios impressos ou mídia electrónica sem o expresso consentimento, por escrito, da Companhia.

11.3.10 The use or misuse of the Company’s logo or trademark in any
sponsoring or recruitment advertising or any financing activity without the express written consent of the Company;

O uso ou uso abusivo do logotipo ou marca registada da Companhia em qualquer anúncio para recrutamento ou sponsoring ou relativo ao qualquer actividade de financiamento sem o expresso consentimento escrito da Companhia.

11.3.11 The misuse of the Company’s corporate name;

O uso abusivo do nome corporativo da Companhia

11.3.12 Any unauthorized duplication of Company literature;

Qualquer cópia não autorizada da “literature” da Companhia.

11.3.13 Any violation of the Company’s Policies and Procedures;

Qualquer violação às cláusulas enunciadas neste mesmo documento.

11.3.14 Intentionally circumventing the Agreement to perform, effectuate or
accomplish indirectly what is prohibited directly;

Contornar intencionalmente o Acordo para firmar, efectuar ou conseguir aquilo que é proibido directamente.

HAHAHAHA - Gosto particularmente desta cláusula... faz-me lembrar os malabarismos utilizados por certas redes de MLM para iludirem as leis sobre pirâmides.

11.3.15 Making derogatory remarks regarding the Company, other Team
Members, the Company’s products, the Sales Compensation Plan, or the Company’s executives, directors, officers, or employees;

Fazer comentários depreciativos a respeito da Companhia, de outros Membros, de produtos da Companhia, do Plano de Compensações, ou de executivos, directores, ou empregados da Companhia

11.3.16 Representing or implying that the Company’s products or Sales
Compensation Plan has been reviewed, endorsed or approved by any regulatory agency;

Divulgar ou dar a entender que os Produtos da Companhia ou o Plano de Compensações foram analisados ou aprovados por qualquer agência reguladora.

Isto lembra-me certos comentários a propósito da "certificação" da ASAE...

11.3.17 In no case shall the name of Agel appear in any URL except those owned by the corporation; and

Em caso algum o nome da Agel não aparecerá em qualquer URL, excepto naqueles que são proprietários da Companhia

11.3.18 Team Member may not sell, offer, barter or facilitate the sale of products or Agel Team Memberships on websites where an auction is the mode of selling/buying. A Team Member may not employ or contract with others to violate this policy.

Um Membro não pode vender, oferecer, negociar ou facilitar a venda de produtos ou Lugares de Membro na Agel em sites na web em que um leilão seja o modo de comércio. Um Membro não pode usar ou contratar outras pessoas de forma a violar esta política.

E isto lembra-me certos sites de leilões, onde se vendem não só produtos da Agel a preços muito inferiores, como também posições na rede.


---

15.9 Interviews with Media. Team Members are prohibited from granting interviews with any broadcast media including, but not limited to, television, radio, newspaper, magazines, trade journals, or over the internet regarding the Company. Such interviews will only be granted by authorized employees of the Company.

Entrevistas com os Mídia. Os membros estão proibidos de dar entrevistas a qualquer meio de comunicação social, incluindo, mas não limitado a, televisão, rádio, jornais, magazines, ou na Internet a respeito da Companhia. Tais entrevistas apenas serão concedidas por empregados autorizados da Companhia.

Alguém se descuidou cá em Portugal, pelo menos na reportagem dada ao Expresso...

Retail Outlets. The Company does not permit its products to be sold or displayed in most retail outlets. However, there are exceptions to this policy. Those retail exceptions are, businesses that operate “by appointment only” (i.e. beauty salons, tanning salons, doctors’ or chiropractors’ offices), private clubs (i.e., figure salons and health clubs).

Lojas de retalho. A Companhia não permite que os seus produtos sejam vendidos ou exibidos na maioria das lojas a retalho. Contudo, há excepções a esta política. As excepções são: negócios que operam “apenas por marcação (i.e. salões de beleza, de bronzear, e consultórios médicos ou de massagistas), clubes privados (“figure salons” e health clubs).

15.11.1 The following retail outlets are examples of those retail outlets that definitely CANNOT sell the Company products or display literature: health food stores, mall booths, and drug stores.
Os seguintes locais de retalho são exemplos de sítios onde definitivamente NÃO se pode vender os produtos da Companhia ou exibir literatura: lojas de produtos dietéticos/saúde, lojas de centros comerciais, e farmácias/parafarmácias.

15.11.2 This policy does not prohibit any retail store owner from being a Team Member for the Company.

Esta política não proíbe que qualquer proprietário de uma lojas possa ser Membro da Companhia

15.11.3 The purpose of this policy is to protect both Team Members and customers.

O propósito desta política é a protecção de Membros e de clientes.

Terms and Conditions

4. I have a duty to supervise and train any Team Members that I may sponsor as described in the AGEL Policies and Procedures. I will explain AGEL™ programs honestly and completely when presenting them to others. I understand and will make clear in any presentation the following: (1) that no earnings are guaranteed by AGEL™ or its programs; (2) no Team Member will earn money for sponsoring; (3) commissions are based on product sales; and (4) that there are no exclusive territories for Team Members in the program.

4. Tenho o dever de supervisionar e treinar qualquer Membro que recrute, tal como descrito no documento AGEL Policies and Procedures. Explicarei o programa Agel honestamente, de forma completa, aquando da sua apresentação a outras pessoas. Entendo e explicitarei o seguinte em qualquer apresentação: (1) que nenhum rendimento está garantido pela Agel ou pelos seus programas; (2) nenhum Membro ganhará dinheiro por recrutar; (3) as comissões são baseadas nas vendas de produtos; e (4) não há territórios exclusivos para Membros no programa.

Cá está ela, a verdade nua, crua, e completamente deturpada! Claro que as comissões são baseadas nas vendas de produtos... nas vendas de produtos que a Agel faz à sua rede de associados. E claro que ninguém ganha nada por recrutamento. Nem sequer há um bónus que paga 200$ por cada Executivo recrutado e 35$ por cada Básico. Se por acaso interpretou dessa forma o texto das "Comissões de Início Rápido", saiba que se enganou redondamente. É sobre as compras que o novo membro faz que incide a comissão, e não sobre o acto, per se, de recrutamento. Embora na prática seja a mesma coisa. Embora fique mal dizer que na prática seja a mesma coisa. Embora toda a gente perceba que é a mesma coisa e ninguém queira falar com seriedade no assunto. Seria considerada uma espécie de traição, entre os Membros da rede, admitir este facto. Compreende-se no fundo...

8.7 Each country has rules and procedures unique to that country. Team Members must follow the rules established for legal operation in the country in which they reside or in which they conduct business.

Cada país tem regras e procedimentos únicos a esse país. Os Membros têm de seguir os regulamentos estabelecidos pela lei no país em que residem ou no qual promovem a sua actividade.

A sério? Mais uma vez, será que isto conta para alguma coisa????


14 comentários:

Edgar disse...

Isto é uma anedota ENORME...
Metem os pés pelas mãos...
Dão o dito pelo não dito...

Ainda se deixam levar por eles?

P.S. Pedro, continuação de um bom trabalho...

Helena Oliveira disse...

Eu sou cliente da AGEL.
tomo o exo, o flex e uso a linha de beleza, que é ainda melhor q a CLINIQUE(que eu usava anteriormente).
Sou fã destes produtos e espero q nao acabem.
Há algum problema???
Gostava de receber uma reposta,
obrigada!

helena luz

Pedro Menard disse...

Não, Helena, não há nenhum problema.

Cumprimentos.

Nando disse...

"...plano. Tudo é processado de forma automática.

É simples, cómodo e evita esquecimentos. Certo?

Errado.

Bem... embora a afirmação esteja tecnicamente certa, as..."

Decida-se!
Fique a saber que li o resto do texto.

Pedro Menard disse...

Caro Nando,

A sua crítica resume-se a isto?
(que, segundo a sua opinião, eu me estou aparentemente contradizer naquela parte do texto?)

Conhece a expressão: "Para bom entendedor..."?

Grato por ter lido o resto.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Julgo que este movimento aparentemente se afundou em Portugal, a julgar pelos dados da página da agel ( http://www.agel.com/opportunity/worldwide_recognition/rank_advancements ). Nem 1 português nem mesmo nos "Top Income Earners". Deve ter migrado tudo para o "Jogo da Roda". Todo o mundo à procura de dinheiro fácil.....
O grande problema deste modelo é que sempre despromoveram as vendas, foco total no recrutamento ( as vendas logo se vê... ). Só que se esqueceram que as vendas são sempre a base.

Pedro Menard disse...

Caro Anónimo(a),

Os meus agradecimentos pela informação que colocou acima. Os "Rank Advancements" são dados que eu estupidamente ignorei quase desde início, mas que agora se revelam de fundamental importância para entender o que se está a passar.

E o que se está a passar, a ser verdade, e partindo do pressuposto que a informação prestada no site da Agel está completa e correcta, é simplesmente inacreditável: a Agel chegou à saturação de mercado em Portugal. Em apenas dois anos, nem isso, de mercado. Durante o mês de Junho NINGUÉM se qualificou sequer como managar (o rank mais baixo logo a seguir a soldado raso/Team Member).

Isto quando temos um gráfico a apontar para a saturação lá para 2020 (na verdade, é um gráfico sem ponta de credibilidade e sem qualquer explicação sobre o métodos utilizados para o construir, mas isso são outras conversas).

Quer isto dizer que esta é a pior altura para alguém aderir à rede com o intuito de enriquecer, uma vez que as perspectivas de crescimento, daqui para a frente, são nulas ou perto disso. E não estou a dramatizar, estou apenas a olhar para a informação disponível e a tecer uma conclusão lógica.

Tal como diz no seu comentário: é o problema de apostarem tudo no recrutamento e nada nas vendas. A questão é que se fosse ao contrário quase todo o "encantamento" deste simulacro de negócio perder-se-ia...

-------------

Quanto ao jogo da bolha, não me supreendia nada se soubesse que muitos membros da Agel o andam ou andaram a jogar. É o tipo de esquema que se propaga rapidamente para quem já sabe "o que é que a casa gasta" e para quem já tem um downline volumoso pronto para se atirar de cabeça a mais uma oportunidade milionária que se atravessa no caminho.

Cumprimentos, e mais uma vez obrigado.

Pedro

Anónimo disse...

Boas Pedro e visitantes do blog.

Tenho lido regularmente o seu blog apesar participar muito pouco. Gostaria apenas de perguntar ao Pedro existe alguma informação concreta sobre os reais efeitos dos produtos. Estamos obviamente a falar de um esquema em pirâmide que lucra imenso com uma grande percentagem de clientes mas está a vender um produto que certamente muitos tomam sem saber se terá ou não consequências negativas para a saúde. Pergunto-lhe isto por mera curiosidade porque não encontro informações concretas. Enquanto isso alguns amigos agelico-dependentes afirmam que o produto foi testado e legalizado.

Pedro Menard disse...

Caro anónimo,

Agradeço a sua participação.

Não tenho em minha posse informações concretas sobre os efeitos dos produtos, quer benéficos, quer eventualmente prejudiciais, sobre a saúde dos consumidores.

Sei que o Expresso pediu para os produtos serem analisados pela ASAE e que, segundo as últimas informações que me prestaram, não encontraram razões para alarme ou alerta. Não sei que testes foram feitos, nem que entidades participaram na sua análise.

Por parte da Agel, os únicos testes que eu conheço terem sido feitos (alegadamente), foi no sentido de obterem alguns certificados de garantia. Entre estes estão o Kosher e o Halal (que já caducaram a sua valia), um outro relativo à longevidade de preservação do gel (um ano, ou mais até), e há não inclusão de substâncias dopantes na sua feitura.

Portanto, é verdade quando afirma que é "um produto que certamente muitos tomam sem saber se terá ou não consequências negativas para a saúde." A respeito dos efeitos reais no ser humano, desconheço qualquer teste efectuado, sem bem que tenha procurado bastante por um.

Creio que o seu consumo deve ser supervisionado por um especialista em nutrição. É isso que manda o senso comum.

Na página da Agel poderá encontrar uma série de informações relativas aos produtos:

http://www.agel.com/company/faqs/products/

Quanto à "devida legalização" dos produtos em Portugal, essa parte passa apenas pela rotulagem dos produtos em português, segundo as normas apresentadas para os "suplementos alimentares", algo que não carece de qualquer controlo prévio sobre o conteúdo das embalagens.

Cumprimentos.

Josh Suleiman disse...

Desculpe o ruim portugues, sou americano.( US )
Estou com Agel fara 6 mes e trabalho com isso a 5 anos, teno ganhos de US$40.000 com Agel, porém..
Concordo com tudo o que você dizer, o sistema é mesmo sujo e teno esses ganhos apenas porque chegei primeiro.
Voce atrapalha meu crescimento mas fas um ótimo trabalho, Continue assim.

Anónimo disse...

Boa tarde a todos,

Confesso que já não visitava este espaço há alguns meses, mas ao ler os comentários a este post não contive uma sonora gargalhada.

Desculpe o ruim portugues, sou americano.( US )
Estou com Agel fara 6 mes e trabalho com isso a 5 anos, teno ganhos de US$40.000 com Agel, porém..
Concordo com tudo o que você dizer, o sistema é mesmo sujo e teno esses ganhos apenas porque chegei primeiro.
"Voce atrapalha meu crescimento mas fas um ótimo trabalho, Continue assim." AHAHAHAHAHAHAHA...

Peço desculpa, e com a devida vénia, o nível intelectual baixou de tal maneira, que já nem a psico-patologia manifesta do autor deste ciber-espaço desperta qualquer tipo de interesse.

Melhores cumprimentos,
Álvaro Pereira Neves

Pedro Menard disse...

Caro Álvaro,

É verdade, já há uns tempos que não aparece por aqui.

Esse seu comentário dá-me a entender que nalgumas coisas concordamos.

Cumprimentos.

Erivaldo disse...

Caro Menard
Eu sou Erivaldo fernandes do Brasil.Gostaria de pedir sua ajuda com um esclarecimento sobre o "Agel".
O dolar em meu pais é super valorizado, sendo que 1 dolar pode ser calculado como 2 Reais.(nossa moeda atual) se valendo desta informação, todos os valores apresentados se tornaram diferentes para meu pais,depois de analisar seu blog, decidi usar suas informações como referencia para falar desta empresa com os amigos que estão sendo convidados a entrar nela.(desculpe se não tiver entendido auguma parte do texto, algumas palavras são escritas ou tem significados diferentes entre nossos paises.)
por favor espero uma resposta via email: sac_minhavida@yahoo.com.br.
Grato: Erivaldo fernandes.

Viver Executive disse...

Caro Pedro, é muito verdade que as empresas que vem de fora nos deixam a desejar pela omissão de alguns pontos que obscurecem a própria empresa, porém o marketing multinível sempre foi uma alternativa limpa e correta de se obter liberdade em todos os aspectos e algumas empresas ainda mantém esse objetivo de mostrar uma nova perspectiva sem mentiras e nem ilusões. Um bom exemplo de empresa transparente aqui no brasil é a Viver Company a qual gostaria que pesquisasse e me desse a sua opinião, a proposta não é fazer propaganda nem divulgação para recrutar, mas sim mostrar que o MMN é legítimo desde que a empresa se comprometa com a verdade. Desculpe se fui indelicado mas acredito no sucesso desse segmento, até mesmo na duplicação da idéia.
Agradecido
ficarei aguardando...
Obrigado
Samuel Lins