sábado, 1 de março de 2008

Comparativo de Preços

Como comparam alguns produtos da Agel com a sua concorrência directa
-
produtos à venda nas lojas e em farmácias


*** Artigo em construção - Última actualização:05/03/2008 ****

Este estudo comparativo não pretende afirmar ou sugerir que qualquer uma das marcas apresentadas é melhor do que as outras. Contudo, serão eventualmente feitas referências a estudos independentes que apontam nomes de marcas específicas.

Por outro lado, adoraria que alguém da Agel apresentasse estudos científicos e provas conclusivas de que os seus produtos são melhores (melhores no sentido de "mais eficazes" e de "mais eficientes") do que os da concorrência. Por outras palavras, gostaria que alguém apresentasse argumentos concludentes que me levassem a pagar o preço exorbitante que os pacotes da Agel custam (e que são praticados apenas em ordem a possibilitar o pagamento de comissões a um longo upline), em deterimento dos preços relativamente acessíveis que quase toda a concorrência pratica (argumentos que não passem pelos risíveis: "sabor", "portabilidade dos pacotes", "dosagem certa" e "rapidez de absorção pelo organismo"). É que não basta dizer que "é bom", ou que determinado médico olhou para o produto e "disse que era excelente" - a concorrência pode muito bem ser tão boa ou até melhor - e acredito, pessoalmente, que muitos produtos concorrentes o sejam de facto.

1 - Vou começar o estudo comparativo pelos produtos multi-vitamínicos e multi-minerais, de longe aqueles que poderão ser mais facilmente vendidos/impingidos a potenciais clientes.

Foi publicado, aqui há uns tempos, um estudo feito pela Universidade de Harvard à famosa pirâmide alimentar, e que sugeria uma disposição hierárquica diferente para as várias "espécies alimentícias" em relação a uma configuração que havia sido previamente apresentada pelo governo Norte-Americano. Esta nova pirâmide alimentar tem sido apontada, desde então, como o exemplo correcto - aquele que deve ser seguido para quem pretenda ter uma vida saudável baseada na alimentação.

O estudo pode ser consultado online: aqui .

Este estudo de Harvard sugere, a determinada altura, que o consumo de um produto multivitamínico pode colmatar algumas lacunas na nutrição de muitos consumidores. Mais refere que não é necessário optar por uma marca cara - uma "normal" chega perfeitamente. Eis o parágrafo:

"Multiple Vitamin: A daily multivitamin, multimineral supplement offers a kind of nutritional backup. While it can't in any way replace healthy eating, or make up for unhealthy eating, it can fill in the nutrient holes that may sometimes affect even the most careful eaters. You don't need an expensive name-brand or designer vitamin. A standard, store-brand, RDA-level one is fine. Look for one that meets the requirements of the USP (U.S. Pharmacopeia), an organization that sets standards for drugs and supplements."

Gostaria ainda de sugerir para consulta um estudo da Health Magazine, publicado na página de saúde da CNN, e que fornece uma opinião detalhada e fundamentada sobre produtos multivitamínicos. Ler aqui.

Neste artigo, sublinho as seguintes passagens:

"Your best bet: Avoid the vitamins singled out by ConsumerLab.com, and stick with mainstream names such as Centrum Silver and One-A-Day Women's, which were found to be free of impurities and accurately labeled."

e

"The delivery method (pill, liquid, gummy bear) makes no difference. But vitamins in liquid form may degrade more quickly on the shelf."

Isto dito, passemos aos dados:

Uma embalagem de 30 pacotes/doses de MIN (o produto multivitamínico da Agel) custa cerca de 65€ a um membro da rede ou a um cliente preferêncial (considerando as depesas de envio de uma encomenda única). Este preço, caso o produto seja vendido a retalho (hahaha...) ao consumidor final, é acrescido de uma determinada margem de lucro. Não vou, para este estudo, considerar esta última hipótese - o que, para todos os efeitos, iria encarecer ainda mais o preço comparativo do produto.

Vejamos os preços praticados por alguns produtos concorrentes em lojas/farmácias:

Ecofood - EcoAlpha, embalagem de 60 comprimidos - 36€
Dosagem - 3 comprimidos por dia
(produto vendido no site http://www.enetural.pt)

Maximize - Life Quality Pack, embalagem de 30 pacotes: 35€
Dosagem: 1 pacote por dia
(produto vendido no site http://www.enetural.pt)

Natiris - Quadryl, embalagem de 20 comprimidos: 13€
Dosagem: 1 comprimito por dia
(produto vendido em farmácias e lojas da especialidade)

Centrum, embalagem de 30 comprimidos: 13€
Centrum, embalagem de 60 comprimidos: 24€
Dosagem: 1 comprimido por dia
(produto vendido em farmácias e parafarmácias)

Viterra - Activit, embalagem de 30 comprimidos: 13€
Viterra - Kids, embalagem de 60 comprimidos: 12€
Dosagem: 1 comprimido por dia
(produto vendido em farmácias e parafarmácias)

Juvamine - "1 por dia", embalagem de 28 comprimidos: 8€
Juvamine - "1 por dia", emb. de 30 comprimidos efervescentes: 9€
Juvamine - "1 por dia", embalagem de 45 cápsulas de pó: 9€
(produto vendido nos hipermercados Continente)

Fazendo um quadro comparativo de preços e dosagens recomendadas, temos o seguinte:


(click to enlarge)


Links:

Viterra
http://www.chefaro.pt/Vitaminas/
http://www.infarmed.pt/infomed/download_ficheiro.php?med_id=9276&tipo_doc=fi

Juvamine
http://www.juvamine.fr

Natiris
http://www.natiris.pt/


2 - Articulações e Cartilagens

Uma embalagem com 30 doses de pacotes Agel para as articulações, o produto FLX, à semelhança das outras gamas, custa cerca de 65€. Este produto foi alvo de uma breve referência no jornal Destak (ver: aqui), em conjunto com um produto dos laboratórios Merck, o Seven-Seas Jointcare.

Acho graça a um comentário presente no site de um "distribuidor" Agel, e que é o seguinte: "Mais uma vez a Agel é destacada na imprensa nacional. Desta vez foi no jornal de distribuição gratuita "Destak", onde foi realçado o potencial do FLX e o seu poder perante sérios problemas de articulações

- "realçado o potencial do FLX e o seu poder perante sérios probelma de articulações" -

Leiam o artigo e tentem perceber onde está o "realce" e a indicação ao seu "poder"... (hahaha)

Quanto à concorrência:

Seven Seas - Jointcare Max, embalagem de 30 doses - 18€
Seven Seas - Jointcare Projoint, emblagem de 30 cápsulas - 15€
Seven Seas - Jointcare Advanced, emblagem de 30 cápsulas - 15€
Seven Seas - Jointcare Extra, emblagem de 30 cápsulas - 12€
Dosagem: 1 comprimido/cápsula por dia
(produto vendido em farmácias e parafarmácias)

Os produtos Jointcare são comercializados em quatro gamas diferentes, conforme o fim a que se destinam e a condição física de quem os toma. A composição nutiocional varia conforme a gama. Uma embalagem de Jointcare Max traz 30 comprimidos de glucosamina 1500mg e 30 cápsulas de óleo de fígado de bacalhau. Uma embalagem de Jointcare Extra traz 30 comprimidos com uma dosagem de 500mg de glucosamina, entre outros ingredientes, como por exemplo o Ómega 3.

Pure Nature - Cartil Nature, embalagem de 90 comprimidos: 32€
Dosagem: 3 comprimidos por dia
(produto vendido nas lojas "Celeiro" e em http://www.lojadietetica.com)

Pharma Nord - BioActivo Glucosamina XTRA, embalagem de 120 comprimidos: 28€
Dosagem: 4 comprimidos por dia
Pharma Nord - BioActivo Glucosamina Duplo, embalagem de 60 comprimidos: 26€
Dosagem: 2 comprimidos por dia
(produto vendido em farmácias e parafarmácias)

Viterra - Artro, embalagem de 60 comprimidos: 14€
Dosagem: 3 comprimidos por dia
(produto vendido em farmácias e parafarmácias)

Links:

Pharma Nord
http://www.pharmanord.pt/

Viterra
http://www.chefaro.pt/Vitaminas/

*** Artigo em construção ****

2 comentários:

gap disse...

olá.
assim que vc terminar esse artigo gostaria de postá-lo no indústria pra mostrar, a quem quiser ver, a grande falácia desse negócio, que apenas vende um produto mediano a um preço exorbitante.
abraço

Pedro Menard disse...

Gap,

Claro que sim. Podemos até apresetnr os valores nas duas moedas.

Contudo, este artigo não vai estar terminado tão depressa, porque vai estar em actualização constante. Sempre que eu encontrar preços de produtos concorrentes, venho aqui para os colocar. Até esta primeira parte dedicada às vitaminas vai sofrer alterações - com novas adições que vou fazendo. Há muitos produtos disponíveis no mercado - mesmo muitos!

Mas vamos combinar o seguinte: até à próxima Segunda-Feira, dia 10, eu tento preencher o artigo com o maior número de infomrações que conseguir arranjar, e nessa altura então, podemos publicar isto no Indústria. Pode ser?

Cumprimentos,

Pedro