quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Pirâmide VS Multinível

Marketing Multinível VS Esquemas em Pirâmide

Como identificar as diferenças entre um negócio potencialmente lícito e um negócio ilícito/fraudulento.

Apesar destes conceitos já terem merecido alguma atenção em mensagens anteriores, julgo ser de todo o interesse falar deles de forma mais directa, apontando as semelhanças e diferenças existentes entre os dois modelos. No final será feito um posicionamento do caso Agel face aos mesmos.

Este artigo baseia-se essencialmente em dois estudos publicados sobre o assunto, um deles em 2003, uma tese de doutoramento elaborado por um assistente do ISCTE, sobre "Vendas Directas" (disponível: aqui ), um trabalho académico, de pesquisa, que a determinada altura defende a legitimidade de muitas empresas de MMN (entre elas a Amway), e que apresenta argumentos muito bem desenvolvidos, muito bem estruturados e justificados (é este tipo de posicionamento que eu esperaria encontrar por parte dos defensores da Agel, e até agora, sem ser este estudo, não houve um candidato à altura); e um outro estudo, de inícios de 2006, pela organização "PSA - Pyramid Scheme Alert", um trabalho baseado em dados reais divulgados por algumas organizações a operarem esquemas em pirâmide (disponível: aqui ) - este trabalho mostra como na prática - na vida real fora do papel - algumas empresas de MMN falham redondamente na proposta de distribuição justa de rendimentos pelas várias camadas de membros que constituem os seus distribuidores (mais uma vez, o nome da Amway vem à baila).

São dois trabalhos completamente antagónicos, tanto nos objectivos propostos como na parte que toca ao MMN (o primeiro a defender, e o segundo a atacar), mas de grande relevo para as matérias aqui em discussão.

Também baseei este artigo nas muitas e várias definições de "vendas directas", de "vendas em pirâmide" e de "Marketing Multinível" que estão disponíveis um pouco por essa net fora, seja em sites de autoridades alegadamente competentes (as federações de vendas directas america e europeia), seja na lei portuguesa e europeia, seja em sites dedicados à discussão geral da legitimidade deste tipo de negócio.

Em primeiro lugar fica uma clarificação: os Esquemas em Pirâmide, ilícitos, ilegais, podem constituir uma forma específica e particularmente nefasta de Marketing Multinível. Podemos, portanto, falar sempre em Marketing Multinível. O que não podemos é dizer que, por se tratar de Marketing Multinível, estamos na presença de um negócio lícito. Para mais, há muitas vezes uma aproximação marginal entre os dois conceitos, que pode ser de tal ordem que se torna difícil de distinguir entre um e outro. No caso da Agel, o modelo adoptado reune propriedades dos dois: usa algumas propriedades do MMN por forma a poder enganar os incautos, e usa outras, relativas a esquemas em pirâmide, para operar na prática.

Definições Essenciais
(alguns trechos nestas definições foram literalmente copiados dos estudos indicados acima, outros foram adaptadas e compostos por mim)

Vendas Directas

Método de distribuição de bens de consumo através de contactos pessoais (face-a-face) entre vendedor e comprador fora dos locais fixos de comércio (em casa do consumidor ou vendedor, em locais de trabalho que não tenham a ver com a actividade, ou em eventos especiais para a promoção dos produtos, como por exemplo as "festas de amigos/familiares"). As vendas directas podem divergir quanto ao modelo organizacional aplicado pela empresa que os institui: podem ser de Nível Único, ou podem ser Multinível.
A lei portuguesa prevê este tipo de negócio no mesmo decreto lei em que prevê a ilegalidade das vendas em pirâmide (143/2001. de 26 de Abril).

Marketing de Nível Único

Sistema de venda directa de produtos de consumo e serviços, por meio de uma rede de distribuidores individuais independentes, sem estabelecimento, isto é, sem loja onde mostrar os produtos, ao mesmo tempo que vendem aos seus clientes particulares: familiares, vizinhos, amigos. Os canais de venda a retalho que usam distribuidores independentes não só para comprar e vender produtos a retalho, mas também para recrutar novos distribuidores para uma rede em constante crescimento. As comissões e prémios recebidos pelos distribuidores incidem, apenas nas suas vendas pessoais (actividade retalhista).
A Avon e a Tupperware são exemplos de empresas a operarem neste tipo de estrutura.

Marketing Multinível (MMN, ou MLM -
Multi-Level Marketing)

Sistema de venda directa de produtos de consumo e serviços, por meio de uma rede de distribuidores individuais independentes, sem estabelecimento, isto é, sem loja onde mostrar os produtos, ao mesmo tempo que vendem aos seus clientes particulares: familiares, vizinhos, amigos. Os canais de venda a retalho que usam distribuidores independentes não só para comprar e vender produtos a retalho, mas também para recrutar novos distribuidores para uma rede em constante crescimento. As comissões e prémios recebidos pelos distribuidores incidem, não só nas suas vendas pessoais (actividade retalhista), mas também nas vendas realizadas por vários níveis de “downlines” na sua rede.

O marketing multinível teve origem nos Estados Unidos nos anos 30, desenvolvido inicialmente pela Nutrilite Products of California através da iniciativa de Carl Rehnborg, conhecido hoje como o “pai” do marketing multinível.

O Boom do Marketing Multinível, as nível mundial, aconteceu nos anos 80. Em Portugal, as primeiras companhias identificadas como MMN estabeleceram-se em 1992 (Amway e Oriflame).

A Amway é considerada a maior e mais bem sucedida companhia de MMN existente no mundo. A Quixtar, uma sua subsidiária gerida através de um portal na net, é considerado outro exemplo paradigmático de MMN.

Para que qualquer uma destas estruturas funcione (Uninível ou Multinível) é essencial que o produto seja "bom". Bom no sentido de ser competitivo face à concorrência. Bom no sentido que que o consumidor final opte por o comprar, em vez de se dirigir à lojas mais próxima e comprar um sucedâneo. Bom no sentido de proporcionar ao vendedor uma base sólida e duradoura para poder ganhar dinheiro. Bom no sentido de proporcionar a todos os membros inscritos na rede, e à partida, as mesmas hipóteses de ganhar dinheiro - a diferença de rendimentos é assim justificada não pela posição hierárquica mas pelo esforço/habilidade de cada um em vender o produto. Um membro colocado no fundo da rede pode assim ganhar mais dinheiro do que um membro do topo, ao vender uma quantidade maior de produtos ao consumidor final.

Por último, quero deixar uma explicaçao adicional sobre o conceito: a sigla MLM não se refere ao modelo de negócio de determinada empresa. Refere-se ao esquema de pagamento de compensações aos distribuidores da rede. O modelo de negócios será sempre, e primeiro que tudo, as "Vendas Directas".

Para o consumidor final (não pertencente à rede de distribuidores) não há qualquer diferença entre uma empresa Uninível e outra Multinível. Para o distribuidor pertencente a qualquer uma das redes, já há uma diferença: no Uninível não ganha comissões derivadas das vendas de outros distribuidores, no Multinível ganha.

Esquema/Vendas/Promoção em Pirâmide

Negócio, ou simulacro de negócio, de cariz ilícito e fraudulento, em que a aplicação de determinadas regras parasitárias conduz a que uma parte dos inscritos (uma minoria, aqueles que entraram primeiro na rede) ganhe dinheiro à custa da exploração do trabalho, ou da angariação de dinheiro, de outros inscritos (a grande maioria, aqueles que entrarem mais tarde para a rede), que acabem sempre em situação de prejuízo. Pode haver um produto ou serviço envolvido, mas, a existir, este não apresenta nenhuma mais valia para o consumidor que lhe permita ser competitivo (em preço ou em valor intrínseco) face a outros produtos sucedâneos que haja no mercado. Um esquema em pirâmide pode tomar inúmeras formas e feitios, uma das quais, a mais desenvolvida, uma rede de Marketing Multinível; em outros casos, como por exemplo o da D. Branca, a pirâmide gira à volta de um negócio "bancário", em que os investimentos dos membros mais recentes servem para pagar os elevados juros dos investidores mais antigos. Há inúmeros casos de Esquemas em Pirâmide divulgados na Internet que, quase sempre, e vistos à distância, acabam por ser tornar cómicos para quem os estuda.

-------------EDIT-------- Correcção efectuada em 17-01-2008

O esquema da D. Branca não era uma pirâmide. Era um Ponzi. Embora semelhante em termos de perdas para os últimos a aderirem ao esquema, um Ponzi distancia-se de uma pirâmide no sentido em que os membros da rede não ganham dinnheiro com o recrutamento uns dos outros, e cada distribuidor individiual reporta directamente à "empresa mãe" - por outras palavras, não há uma hierarquia organizada de membros.

------------END EDIT--------------------------------------

Segundo a lei portuguesa, a Venda em Pirâmide pressupõe o aliciamento que alguém faz a outrem (seja para que este compre algo ou para que entre numa rede) com a intenção de obter um desconto ou a gratuitidade num determinado produto/serviço.

Segundo a lei comunitária europeia, uma "promoção em pirâmide" acontece quando o consumidor dá a sua própria contribuição em troca da possibilidade de receber uma contrapartida que decorra essencialmente da entrada de outros consumidores no sistema, e não em vez da venda ou do consumo de produtos.

O estudo publicado em 2006 pela "PSA - Pyramid Scheme Alert" refere o negócio da Amway como um inequívoco esquema em pirâmide e apresenta, logo de seguida, números concretos para o provar (este mesmo estudo identifica outras seis empresas de MMN que na realidade são negócios em pirâmide muito bem disfarçados). De igual forma, um processo recente, ainda a decorrer, levantado pelo governo inglês contra este gigante do MMN, apresenta valores claros e concisos de que a Amway não justifica as suas promessas de uma vida melhor para a grande maioria do membros inscritos (ler notícia do Times Online aqui ).

Na China, e como forma de acabar com potenciais negócios/esquemas em pirâmide, o governo instaurou uma lei que proíbe o ganho de comissões com base em vendas/compras de outros downlines, bem como o recrutamento de novos membros para a rede. Basicamente, o que o governo chinês decretou foi que todos os negócios de MMN passassem a ser Marketing de Nível Único, e ainda por cima sem possibilidades de recrutar quem quer que seja. Não quero de forma nenhuma exultar o governo chinês (até porque abomino a sua formatura ditatorial), mas tenho de reconhecer que conseguiu com esta medida cortar o mal pela raiz. (ver notícia aqui ). Mesmo assim, a ideia do "sonho americano" é bem real para a força de vendas na China, e os ensinamentos/experiência deste tipo de empresa apresentam-se como muito atractivos para os vendedores chineses.

Bottom Line

Apesar de haver diferenças de montra nos conceitos apresentados de MMN e de Esquema em Pirâmide, por vezes as aproximações são tantas que não é possível distinguir em que lado da fronteira se situa um negócio - ou até se se situa dos dois lados da fronteira, como parece ser o caso da Agel. A meu ver, a definição de Esquema em Pirâmide passa muito para lá daquilo que os regulamentos legais/oficiais atiram cá para fora. A meu ver, para identificar um esquema em pirâmide há que proceder ao estudo dos números no terreno - identificar a percentagem de "vendas" (para fora da rede) face à percentagem de "consumos" (para dentro da rede); identificar médias de receitas/lucro e de custos/prejuízo para os inscritos nas hierarquias das redes; apontar tempos de permanência e número de desistências de antigos inscritos no esquema; identificar potenciais tentativas de camuflagem da realidade; etc., etc. etc. Não sei ao certo como podemos fazer estas consultas ou como podemos retirar conclusões exactas baseadas apenas em suspeitas, uma vez que é muito complicado conseguir acesso a estes dados. Através de alguns estudos publicados sobre a matéria podemos ir vislumbrando farpas da realidade oculta; infelizmente, e por enquanto, é apenas o que podemos fazer.

Para mim, o negócio de MMN ideal/lícito/honesto seria um em que:

- Fossem respeitados os conceitos de comissões apresentados nas supra definições. Por outras palavras, em que cada membro pudesse ganhar uma determinada margem de lucro em contrapartida das suas vendas (25%, 30% ou até mesmo 50%, não interessa ), e pudesse ganhar comissões relativas às vendas de todos os membros por si patrocinados (um valor menor, em todo o caso, 5% ou 10%). Para ganhar estes valores de comissões, os membros não teriam de comprar nada à empresa fornecedora.
- Um membro nunca pudesse ganhar mais dinheiro com as comissões do downline do que o lucro gerado pelas suas próprias comissões. Isto é uma regra de "justiça" - impede os parasitas que se encostam à sombra da bananeira e ficam à espera que os outros trabalhem.
- O produto fosse competitivo face à concorrência, quer em termos de valor, quer em termos de preço final.
- O valor da inscrição na rede fosse inexistente, ou, a existir, que fosse um valor irrisório, ou um pagamento inicial mais barato por conta de produtos/artigos promocionais.
- Houvesse uma política justa de aceitação de devoluções, de pelos menos 6 meses ou mesmo de um ano, não permitindo que alguém pudesse ficar "agarrado" por não ter conseguido vender o produto e/ou por não ter conseguido recrutar mais ninguém para dentro da rede.
- Não houvesse pagamentos/encomendas/consumos mínimos obrigatórios.
- Fosse especificado exactamente e sem rodeios em que é que consistia o negócio (vender produtos a terceiros e tentar recrutar mais vendedores), o que significava trabalhar como vendedor/distribuidor, e quais as reais possibilidades de sucesso na empresa.
- Fossem divulgados abertamente informações relativas aos números da rede de inscritos (rendimentos médios por hierarquia, número de desistências, volume de vendas para fora da rede, etc. etc.)
- Não fosse exibida publicidade milagrosa a prometer "independência financeira", "uma vida melhor trabalhando menos", composta por "Ferraris, Porsches, e outros carros de luxo", por "viagens a ilhas paradisíacas", etc., etc. etc.


O Caso da AGEL - Posicionamento face a estes conceitos
(tema do próximo artigo)

10 comentários:

Anónimo disse...

Em resposta a sua resposta ao meu comentario no post "Notícias do Mundo".

Existem imensas empresas de MLM legitimas. Tal como existem imensas empresas no mercado tradicional legitimas.

Existem imensas empresas de MLM não-legitimas. Tal como existem imensas empresas no mercado tradicional não-legitimas.

Ja chamei atenção tambem no blog industria da decepção. Cada vez mais as pessoas deviam chamar a atenção tambem se não ninguem tem credito na sua opiniao. Toda a pessoa tem direito a sua opinião, e se voces a escrevem, estão no vosso direito. 99.99% das pessoas que criticam MLM caem sempre no erro de colocarem todas as empresas no saco daquela com que a pessoa ou o amigo se deu mal. Ao fazerem isso alem de se estar a mentir dizendo, ou apenas criticando tudo que seja MLM o que acaba por ser igual a por tudo no mesmo saco, voces estao a desvirtuar o vosso blog. Eu como leitor não tenho vontade nenhuma de ler algo que não seja construtivo. Tudo que seja so criticar, deitar abaixo etc etc não da vontaade de ler.

E vital criticar OK mas salvaguardar sempre que MLM e legitimo tal como a Internet e legitima embora tenha dentro de si os virus, hackers etc etc . No MLM tambem temos os nossos virus, hackers etc etc

Isto e apenas uma critica sobretudo construtiva. Sou profissional a 5 anos, o meu ultimo bonus foi de 5132,34 euros. Rendimento liquido sem as despesas de telefone, seg. social. gasolina entre outros foi de 3814,32 Euros. Tal como qq negocio tenho despesas, mas o resultado liquido e de um inequivoco sucesso que muitos negocios têm. Deixei um curso para tras para abracar esta actividade. Compensou?? MUITO! É facil? Não. Dificil? Não. Então? É simples e requer trabalho. Trabalho muito ganho muito. Trabalho pouco ganho pouco.

Consumo, Vendo e Recruto, tal como os meus Distribuidores o fazem, e acima de tudo a palavra Distribuidores e confundida com colega/amigos pois um negocio MLM saudavel gera relacionamentos saudaveis e muito interessantes pelo trabalho em equipa e entre-ajuda.

Votos de um 2008 em grande!

ruipedroj@gmail.com disse...

ESTOU na agel ah 1 mes.. a empresa é rentavel, e ja estou a ganhar. Questoes legais? é 100% legal, está prevista na lei portuguesa: Uma empresa estrangeira que paga honorarios. Basta abrir actividade nas finanças como comissionista e dizer: Trabalho por comissoes, declaro akilo que ganho, e pronto. Nao ha retençao na fonte ou descontos para segurança social, apenas mais valias no fim do ano. Quanto aos produtos, sao como qualquer outro produto do supermercado que se dizem milagrosos, regeneradores, e anti oxidantes para evitar o cancro. E as pessoas compram e tomam. Estes sao iguais, supostamente com melhor qualidade, mas isso eh tudo markting claro! Mas é bom, sabe bem, e é saudável.

Quanto à questao: "é impossivel um membro receber mais do que aquilo que paga todos os meses". Tretas! A agel paga apenas 8% dos seus lucros a todos os seus membros. Isto num negocio de milhoes da bastante dinheiro claro... Mas foi graças a nós que ele existiu.. Saturaçao do mercado? Todos os anos surgem novos recem licenciados e jovens a procura do negocio da vida deles, e a agel é uma boa proposta...

Acredito, estou a ganhar, funciona, e é mais transparente do que parece (quem entra percebe isso). Por isso nao falem de fora sem ter todas as informaçoes que quem está dentro tem. Se tiverem alguma duvida entao façam uma pergunta concreta, e nao levantem questoes dubias e sem fundamento do tipo: Como é possivel ser honesto assim? Por amor de deus. Sejam concretos. Vejam o esquema de comissoes, está na net, há videos.. e percebem como é que eles ganham conosco, e nós com eles... Sao páginas como esta que tornam as coisas obscuras e mal vistas, quando é apenas mais uma forma de negócio, como qualquer outra (mas muito mais bem paga para os seus membros do que qualquer outra).

Mais uma vez, alguma questão concreta? Qual é o problema afinal?

Anónimo disse...

Caro Anónimo,

"Existem imensas empresas de MLM legitimas. Tal como existem imensas empresas no mercado tradicional legitimas."

>>> Quer enumerar algumas MLM "legítimas", por favor? (reconheço que estou em desconhecimento de causa por falta de informação. A única empresa "ilegítima" que conheço a fundo é a AGEL)

Existem imensas empresas de MLM não-legitimas.

>>>> Idem aspas. Será que nos pode indicar algumas?


"Toda a pessoa tem direito a sua opinião, e se voces a escrevem, estão no vosso direito. 99.99% das pessoas que criticam MLM caem sempre no erro de colocarem todas as empresas no saco daquela com que a pessoa ou o amigo se deu mal. Ao fazerem isso alem de se estar a mentir dizendo, ou apenas criticando tudo que seja MLM o que acaba por ser igual a por tudo no mesmo saco, voces estao a desvirtuar o vosso blog. "

>>>> Aqui peço desculpa, mas o Sr. não leu bem as minhas mensagens e não leu bem as minhas respostas às suas observações. Já fiz questão de clarificar EM VÁRIOS LOCAIS, e SEMPRE QUE SE JUSTUFIQUE, que considero haver uma diferenças (pelo menos em teoria) entre o MLM honesto e o MLM fraudulento. Não sei se na prática esta diferenças se verifica.
Mais: por favor RELEIA com atenção o título desta mensagem antes de entrar com mais comentários deste género.


"Eu como leitor não tenho vontade nenhuma de ler algo que não seja construtivo. Tudo que seja so criticar, deitar abaixo etc etc não da vontaade de ler."

>>>> O que o Sr. está a fazer é precisamente isso: críticas não construtivas.


"E vital criticar OK mas salvaguardar sempre que MLM e legitimo tal como a Internet e legitima embora tenha dentro de si os virus, hackers etc etc . No MLM tambem temos os nossos virus, hackers etc etc"

>>> Ver TODAS AS respostas anteriores.

"Isto e apenas uma critica sobretudo construtiva. "

>>> Desculpe, mas não é. O Sr. não leu bem aquilo que escrevi. Por outro lado, não contribui com uma opinião sua para clarificar o que é a honestidade no MLM que tanto aponta. Ainda vai a tempo de o fazer.

"Sou profissional a 5 anos, o meu ultimo bonus foi de 5132,34 euros. Rendimento liquido sem as despesas de telefone, seg. social. gasolina entre outros foi de 3814,32 Euros. Tal como qq negocio tenho despesas, mas o resultado liquido e de um inequivoco sucesso que muitos negocios têm. Deixei um curso para tras para abracar esta actividade. Compensou?? MUITO! É facil? Não. Dificil? Não. Então? É simples e requer trabalho. Trabalho muito ganho muito. Trabalho pouco ganho pouco."

>>>>> O facto de o Sr. está a receber dinheiro não justifica, por si só, a honestidade do negócio, assim como também não comprova a sua frauduência. É apenas mais um dado não relevante. Ineressaria, por outro lado, apresentar uma perspectiva global sobre quantas pessoas no seu negócio estão a ganhar dinheiro (a ter lucro) e quantas estão a perder.

"Consumo, Vendo e Recruto, tal como os meus Distribuidores o fazem,"

>>>> Quanto, dos seus rendimentos, provém de vendas que o Sr. faz para fora da rede? Quanto provém de COMPRAS feitas por distribuidores abaixo de so? Quanto propvém de recrutamento? (isto serve para indiciar a honestidade/fraudulência do negócio, embora sem ser possível retirar conclusões).

"e acima de tudo a palavra Distribuidores e confundida com colega/amigos pois um negocio MLM saudavel gera relacionamentos saudaveis e muito interessantes pelo trabalho em equipa e entre-ajuda."

>>> Isso depende. Mas aceito a sua experência neste caso.

Cumprimentos,

Pedro Menard

Anónimo disse...

"ESTOU na agel ah 1 mes.. a empresa é rentavel, e ja estou a ganhar."

>>> Pois, olhe que eu também estou a ganhar desde que trabalho. Aliás, eu nunca perdi dinheiro desde que trabalho. Interessante, não acha?

"Questoes legais? é 100% legal, está prevista na lei portuguesa: Uma empresa estrangeira que paga honorarios. Basta abrir actividade nas finanças como comissionista e dizer: Trabalho por comissoes, declaro akilo que ganho, e pronto. Nao ha retençao na fonte ou descontos para segurança social, apenas mais valias no fim do ano. "

>>> Que o Sr. esteja legal dessa forma, não tenho qualquer dúvida. Foi isso que também me disseram nas finanças. O que eu estou a questionar não é a honestidade dos "distribuidores" da AGEL(embpra crendo que ao recrutares mais membros, estes estejam e incorree numa ilegalidade), o que eu questiono, acima de tudo é a honestidade e a legalidade do modelo de negócios da AGEL.
Quanto à honestidade, já retirei as minhas conclusões: a Agel é uma empresa fraudulenta. Quanto à legalidade, ainda estou para saber. O tempo o dirá.

"Quanto aos produtos, sao como qualquer outro produto do supermercado que se dizem milagrosos, regeneradores, e anti oxidantes para evitar o cancro."

>>>> Neste momentos, é exactamente essa a minha opinião. Não comprovável.

"E as pessoas compram e tomam. Estes sao iguais, supostamente com melhor qualidade, mas isso eh tudo markting claro! Mas é bom, sabe bem, e é saudável."

>>> Duvido que sejam saudáveis por si só. Continue a ler este blog e vai perceber porquê.


"Quanto à questao: "é impossivel um membro receber mais do que aquilo que paga todos os meses". Tretas!

>>>> ???? Nunca afirmei isso. Sei que de facto um membro pode receber mais do que auilo que pagou. Sei também que 90% ou mais das pessoas que aderirem ao negócio não vão ter essa "sorte". Sei que essas todas nunca vão receber mais do que aquilo que pagaram. Por outras palavras, 90% ou mais vão ter prejuizo com saldo final.

"A agel paga apenas 8% dos seus lucros a todos os seus membros. "

>>>> De onde tirou essa afirmação? É muito curiosa. Pelo menos quando confrontada com as palavras do Sr. Randy Gage, quando diz que a Agel paga METADE das suas RECEITAS aos seus membros. Tem piada, não tem?
É só mais uma pequena descrepância nas informações que vão saindo cá para fora.

"Saturaçao do mercado? Todos os anos surgem novos recem licenciados e jovens a procura do negocio da vida deles, e a agel é uma boa proposta..."

>>> Para a maior parte desses jovens, esta vai ser uma experiência inesquecível, de facto. Vai ser uma lição para o resto das suas vidas.


"Acredito, estou a ganhar, funciona, e é mais transparente do que parece (quem entra percebe isso)."

>>> Ou não. 90% vai perceber uma coisa totalmente diferente dessa, embora esses também tenham acreditado na transparência e na honestidade quando entraram.


"Por isso nao falem de fora sem ter todas as informaçoes que quem está dentro tem."

>>>> Por essa ordem de ideias, eu tinha de me inscrever para saber o que queria. Sim senhor, muito bem! Transparência à la carte.

"Se tiverem alguma duvida entao façam uma pergunta concreta, e nao levantem questoes dubias e sem fundamento do tipo: Como é possivel ser honesto assim?"

>>>> Não entendi porque é que considera que levanto questões dúbias.


"Por amor de deus. Sejam concretos. Vejam o esquema de comissoes, está na net, há videos.. e percebem como é que eles ganham conosco, e nós com eles..."

>>>> Já vi, já fui a uma reunião, já perguntei e já entendi o plano todo.

" Sao páginas como esta que tornam as coisas obscuras e mal vistas, "

>>>> Pois claro, a culpa é de páginas como esta. Por esta ordem de ideias eu também posso fazer o raciocínio contrário: é com páginas como as vossas que o negócio passa por honesto e credível. Gosto da sua forma de argumentação. Como deve entender, eu não me vou por a dizer bem de uma coisa quando não gosto nada dela. Também não me vou calar, como é natural.

"quando é apenas mais uma forma de negócio, como qualquer outra"

>>>>> Hahahaha. Este é o melhor de todos os seus argumentos. Obrigado por me ter esclarecido (erroneamente, mas tudo bem).

"(mas muito mais bem paga para os seus membros do que qualquer outra)."

>>>>> Mais bem paga para uma PEQUENA parte dos seus membros - 1%-10%.


Cumprimentos,

Pedro Menard

Mais uma vez, alguma questão concreta? Qual é o problema afinal?

Gap disse...

Caro Pedro, saudações da Indústria da Decepção.

Realmente você vem se dedicando com afinco em mostrar as armadilhas desse esquema Agel, e gostaria de te dar um conselho: porque não transfere teu blog para o Wordpress? Parece cafonice, mas acredito que logo subiria às primeiras posições do Google, o nosso blog (Industria da Decepção?) recebe mais de 200 visitas diárias só de pessoas buscando por Agel. E cá no Brasil ainda não temos muitas informações sobre a empresa. Acho o WP mais maduro. Tenta lá, vai migrando aos poucos. Só um conselho.

Nota: nada estou a ganhar te indicando o WP, só acho que seu blog merece um pouco mais de requinte, porque esse assunto da Agel vai longe ainda.

abraço e obrigado pelos seus comentários em nosso blog.

Anónimo disse...

Caro(a) Gap,

Obrigado pela visita e pelo conselho. Vou estudar a sua proposta. Estou sempre aberto a sugestões de melhoria.

A denuncia que estou a tentar levar a cabo passa por ridícula face ao trabalho desenvolvido pela vossa equipa. .

Saudações deste lado do oceano.

Pedro Menard

gap disse...

Olá.
Pois vc acaba de me dar uma boa idéia. Por que não entra para nosso time? Ai vc pode escrever artigos sobre a Agel e publicar no nosso blog (Indústria da Decepção?). Seria perfeito, pois como nosso blog está bem colocado no Google, os teus artigos sobre Agel publicados lá seriam lidos por mais pessoas ainda, e nós tb carecemos de informações sobre a Agel. Se tiver interesse nos avise, ai te adicionaremos como membro do blog e poderá escrever por lá tb a hora que quiser. Pode até publicar os mesmos artigos que publica por aqui, não tem problema.

Pensa, e nos avisa.

Abraço.

O meu diário Agel disse...

http://omeudiarioagel.blogspot.com/

acompanhem um caso real aqui..

Pedro Menard disse...

Ao "O Meu Diário",

Caro amigo, é óptimo contar com a sua visão, como membro da Agel recentemente inscrito, das coisas.

Vou concerteza ter algumas discussões agradáveis consigo.

Já estive a dar uma espreitadela no seu blog e tenho inúmeros reparos/comentários a fazer.

O Sr., como está mesmo no ínício, e tal como eu estava nessa altura, não percebeu ainda bem como funcionam as várias maneiras de ganhar dinheiro no plano de comissões - não é como tem escrito lá no seu blog. Ainda tem muito de penar para conseguir os 25% por cada patrocinado directo. Isso só acontece com o bónus de alavancagem, e para o atingir o Sr. precisa de ter uma boa quantidade de gente abaixo de si.

Quanto às pirâmides VS MMN, também não é como Sr. diz.

Mas vamos com calma. Deixe-me ler com atenção que depois deixo por lá os meus comentários.

Convido-o a fazer o mesmo por aqui. Leia com atenção e deixe a sua opinião. Não se fique pela simples publicidade ao seu blog. Se por acaso não estiver a pensar em escrever mais nada aqui, aos fim de um mês apago o seu comentário, por óbvia tentativa de publicidade (como disse na primeira de todas as mensagens, este blog não aceita publicidade de qualquer espécie.)

Cumprimentos,

Pedro Menard

Anónimo disse...

Ao "O Meu Diário",

Como fui vítima de um processo de CENSURA por parte do autor desse blog, que eliminou uma mensagem minha que punha em causa, e com muita objectividade, a sua credibilidade como Advogado (o Sr. em questão auto-intitula-se Advogado), recuso-me a voltar a deixar mensagens nesse local, até uma de duas coisas acontecerem:

- Um pedido de desculpas por parte do Sr. Advogado, e consequente levantamento de restrições de publicação em tal blog.

- A mensagem voltar a ser colocada online.

Cumprimentos,

Pedro Menard