sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Crónica de uma Morte Anunciada

Breve Explicação do Esquema da(s) Pirâmide(s)
"Tudo o que sobe torna a descer" - Adaptado da "Lei de Murphy" aplicada à aeronáutica


- 1ª parte -

O seguintes artigos tem por finalidade explicar a insustentabilidade de um esquema de pirâmides e a sua faceta de negócio fraudulento. Iremos ver como cresce (desordenada e aleatória) uma pirâmide, quem ganha e quem perde dinheiro com o seu crescimento, e como tudo pode acabar por regredir de volta para o zero, no final, quando já não houver mercado para conquistar (fase de saturação do ciclo).

A Agel utiliza uma estrutura muito parecida à que vão ver já de seguida.

Para introduzir o assunto, comecemos por analisar o gráfico de crescimento do negócio, utilizado pela própria Agel numa apresentação de Powerpoint construída para nos aliciar a entrar:



No eixo das abcissas temos a escala temporal (2006-2020), e no eixo das ordenadas temos o volume de "vendas", numa unidade monetária que suspeito ser o dólar. (nota: o crescimento da linha verde no gráfico equivale à adição de novos membros às pirâmides existentes - quantos mais membros, mais sobem as "vendas").

A Agel, na minha opinião, pretende fazer passar várias mensagens através deste gráfico, algumas das quais de forma encoberta.

A primeira mensagem, perfeitamente visível, é a de que o projecto está em fase de arranque (rectângulo azul, 2006), que irá conhecer uma expansão brutal daí a muito pouco tempo, e que essa fase de expansão durará vários anos até o mercado ficar saturado (período 2008-2020). Logo, se aderirmos rapidamente ao negócio, a probabilidade de virmos a ter muita gente a entrar por baixo de nós é grande: o nosso lucro vai crescer exponencialmente. Até aqui, tudo muito lógico. Faz sentido. Numa pirâmide baseada em recrutamento, o esquema funciona bem para quem entra no início.

A segunda mensagem que pretendem passar (encoberta) é de que a fase de saturação só é atingida ao final de uns 10-15 anos. Eles não insistem muito neste ponto, mas a informação está lá, no eixo das abcissas, com os valores dos anos 2006, 2008 e 2020.

A coisa começa a correr mal com esta mensagem. Pergunta: o mercado demora 10-15 anos a saturar por ordem de quem? Um esquema em pirâmide é de crescimento totalmente imprevisível. É como os átomos radioactivos libertados numa explosão nuclear. Não se podem fazer extrapolações com base noutros modelos. Por outro lado, também não sabemos a taxa de penetração do negócio Agel no mercado. Tanto pode ser de 10% como de 90%. É uma incógnita. Resumindo, é impossível dizer se o negócio chega à saturação em um, em dois, ou em dez ou quinze anos. Até pode ser daí a dois ou três meses. A mesma coisa se passa em relação ao volumes de "vendas". É impossível fazer uma previsão. Os valores apresentados estão forçosamente manipulados.

Há algum estudo de mercado feito para comprovar os valores? Nenhum foi divulgado!

A terceira mensagem (encoberta) diz-nos que uma vez atingida a fase de saturação, a pirâmide estabiliza. De facto, o gráfico pára nesse preciso local. Não há mais gráfico depois disso. Então, o que acontece depois? É muito simples. Quando já não houver ninguém a querer entrar para a pirâmide, o modelo cai. Quando os alicerces de uma casa cedem, toda ela se desmancha.

A quarta mensagem (também encoberta) é a de que existem "vendas"... Para que fique claro para todos: as únicas "vendas" que vão acontecer ao longo do tempo são as que Agel vai fazer aos seus membro. Ninguém vai vender o produto para fora da rede. Seria uma espécie de suicídio económico fazê-lo - abrir uma sociedade em condições para o fazer custa dinheiro. Admito que uma pequena percentagem de pessoas venha a vender uma parte do produto, mas será sempre feito à margem da lei, a amigos e conhecidos, e nunca como forma de recuperar o investimento.
"Vendas", no contexto deste gráfico, significa grosso modo "membros inscritos nas pirâmides". Pessoas na rede a quem a Agel VENDE os produtos.

(continua na próxima mensagem)

2 comentários:

antimmn disse...

grande Pedro, obrigado por linkar nosso blog, tb fizemos o mesmo com o seu... agora falando sobre a Agel... mtos portugueses estão ansiosos porque a Agel vai começar atividades no Brasil... mal sabem eles que a imagem do MMN no Brasil já está deteriorando... já tivemos duas grandes empresas de MMN denunciandas em rede nacional aqui no Brasil, um foi denunciada na Rede Globo... algumas empresas já foram fechadas pela nossa Policia Federal, acusadas de formação de pirâmide... a Agel é uma mistura de Herbalife e Amway... mas no fundo é uma pirâmide financeira, e espero que nem chegue ao Brasil, pois cá entre nós, a última coisa que o Brasil precisa é de outra empresa de MMN, onde só ganham dinheiro os donos e o pessoal do topo... ñ passa de um modelo insustentável, onde depois de certo tempo as pessoas só entram pra perder dinheiro... sempre comentarei seus novos posts, pois adicionei teu RSS no meu igoogle... abraço Pedro, e continue com seu trabalho.

Pedro Menard disse...

Hmmm...

antimmn, pelo menos, aí no Brasil, há legislação sobre o assunto.
Cá em Portugal, não faço a mais pequena ideia sobre o enquadramento legal de este tipo de esquema/negócio. Estou completamente às escuras. Tenho de me informar melhor antes de poder falar em legalidade ou ilegalidade. Claro que isso não tem nada a ver com a honestidade da coisa. São assuntos diferentes.

Cumprimentos,